Discurso


10/06/2009

 

36a Reunião Ordinária, realizada aos 10 de junho de 2009

 

SR. VEREADOR GILBERTO BILÉO SOARES (PSDB): Sr. presidente, vereador Rafael Zimbaldi, padre Haroldo, Sr. Maurício, parabéns pela iniciativa, Sr. Vereador José C. Oliveira (Zé do Gelo), Srs. vereadores, distinto e seleto público presente. Padre. Haroldo, eu me emociono quando eu vejo o senhor. Há muitos anos, quando o senhor verificou a inadimplência do Poder Público e as dificuldades da família, como tratar do tema em debate, em tela, o senhor disse em alto e bom som, o Poder Público, escolas municipais, famílias, vocês são pilares e eu quero colaborar. O senhor com o oceano de boas intenções, conseguiu despertar no povo de Campinas, a solidariedade, a fraternidade de uma maneira espiritual, para que nós vivêssemos a sobriedade. De cada dez quatro são curados. A sua Instituição é um marco, é um símbolo na luta pela cura do dependente químico. O importante, o senhor sabe, não é punir um comportamento, é corrigir, tratá-lo, prevenir, educar, e como dizia Ulysses Guimarães, Maurício: “O segredo da felicidade é fazer do seu dever o seu prazer”. E os senhores de maneira prazerosa, Rossini, de tanta batalha, de tanta luta, conseguiram se tornar uma referência no tratamento, na busca da cura do dependente químico. Por essas e outras, eu quero me irmanar nessa luta e dizer que a participação aqui de todos nós, para que possamos doravante, minimizar e atenuar o drama de tantas pessoas. Levando a tudo e todos a responsabilidade que o senhor inaugurou há muitos anos na luta a favor das pessoas e das famílias, muito obrigado padre Haroldo, o senhor não só habita, como reside e mora no coração dessa metrópole chamada Campinas, muito obrigado [palmas].

SR. VEREADOR BILÉO SOARES (PSDB): Sr. presidente, Srs. vereadores, distinto e seleto público presente, telespectadores da TV Câmara. Eu quero primeiro enaltecer e elogiar a maneira pela qual o vereador Jairson dos Anjos, o Canário, veio colocar suas observações a respeito da Petrobras. Mas, por outro lado, eu gostaria também de dizer que a CPI é um instrumento da sociedade. Nós, do PSDB, que adotamos o parlamentarismo, regime de gabinete, regime de programa, que evita crises institucionais, da maioria, um regime que nós sonhamos e adotamos e reza a nossa cartilha, o PSDB tem essa linha. E a CPI, na verdade, convive nesse processo de uma maneira robusta, vereador Artur Orsi. Eu preferia muito aqui estar aqui nesse Parlamento discutindo voto de censura, Moção de Confiança, de Desconfiança, que fosse um Parlamentarismo aqui já, mas, infelizmente, nós não vivenciamos o Parlamentarismo e vivenciamos um Presidencialismo de colisão, que é a barganha, o escândalo. Na verdade, são os interesses escusos que brotam e permeiam a atuação da vida pública hoje, no nosso país. Por essas e outras, eu quero dizer que uma CPI é oportuna, é importante, porque a Petrobras, gente, não tem dono. A Petrobras é do Brasil, dos 188 milhões de brasileiros. Eu elenquei aqui, vereador Jairson dos Anjos, algumas preocupações. Porque o objetivo na verdade é apurar denúncias que foram que feitas à empresa Petrobras. Por exemplo, a primeira denúncia que chegou aos nossos conhecimentos, superfaturamento apontado pelo TCU em diversas obras, aí está uma denúncia. Manobras da estatal questionadas pela receita para não recolher quatro bilhões de impostos. Empréstimo de emergência, dois bilhões da Caixa Econômica Federal, por causa dos aumentos dos gastos operacionais da empresa. Pagamento irregular, conforme a Polícia Federal, de royalties, a municípios por parte de empresa. E uso político de campanha, para financiar Festa de São João. Não é verdade que a CPI da Petrobras vai prejudicar a economia brasileira. O Congresso, como bem disse o nobre Vereador Jairson dos Anjos (Canário), o Congresso tirou um Presidente da República e o Brasil continua sendo grande. O Brasil é consistente hoje, quer dizer, então existem mecanismos para que a gente discuta e veja efetivamente luz, transparência e veja que as pessoas denunciadas que possam eventualmente, se defender. Não queremos sim, companheiros, amigos e amigas, senhoras e senhores, comprometer o futuro da empresa e eu acho que a atitude da CPI é uma atitude de responsabilidade e uma atitude patriótica. Mas antes de oferecer aparte ao meu vereador, vice-líder da Bancada e do Bloco PSDB/PV eu quero dizer que a CPI busca na verdade, vereador Josias Lech, a transparência. É um instrumento importante, é uma ferramenta importante da sociedade, do Parlamento, desse Presidencialismo de colisão que existe aí. Podia até ser um Presidencialismo híbrido, como é na França, que dá mais poderes ao Parlamento, também dá mais poderes ao Presidente, mas na verdade isso é que acontece, nós não vivemos um Parlamentarismo. Então, um instrumento para você buscar efetivamente, alternativas ao que está sendo alvejado pelos congressistas e elencando cinco situações periclitantes, situações que envolvem pessoas ligadas à Petrobras. Da mesma maneira que o vereador Jairson dos Anjos veio aqui de uma maneira light, uma maneira tranquila mostrou um lado, eu estou fazendo o contraponto, mostrando um outro lado para que os vereadores, juntos, possam efetivamente, de numa maneira tranquila e serena, decidir no que tange, no que diz respeito a essa CPI redigida pelo vereador Jairson dos Anjos.
Com a palavra, o nobre vereador Artur Orsi.

SR. VEREADOR BILÉO SOARES (PSDB): Vereador, nós do PSDB, nós concordamos com o Estado necessário. Então, na verdade, a privatização foi um elemento fundamental para acabar com o sucateamento e o cabide de empregos que tomava de assalto as empresas públicas. E está aí a Eletrobrás, hoje todo mundo tem telefone era uma fortuna o telefone, foi o Governo dos PSDB. A verdade precisa ser resgatada, a privatização é boa, e não vamos privatizar a Petrobras, como não privatizamos o Banco do Brasil, em que pese todas as denúncias elencadas por ocasião da eleição. Todavia, respeito o posicionamento do vereador Canário e espero que respeite também o nosso posicionamento. Muito obrigado. É mais um grande momento de discussão política nessa Câmara, que está fazendo nome, porque tem bons vereadores e bons debatedores. Parabéns, vereadores, por realmente participarem desse processo democrático.

Assume a Presidência, Vereador Gilberto Biléo Soares.

SR. PRESIDENTE AD HOC VEREADOR BILÉO SOARES (PSDB): Eu gostaria de saber qual o próximo vereador inscrito. Vereador Arly de Lara, ausente.Vereador Artur Orsi, ausente. Vereador Gilberto Biléo Soares, na qualidade de próximo inscrito, gostaria então que o Vice-Presidente dessa Casa, Presidente nesse momento dessa Sessão, assumisse seu lugar, para que eu pudesse fazer uso da palavra. Muito obrigado.

Assume a Presidência o primeiro vice-presidente vereador Valdir Terrazan.

SR. PRIMEIRO VICE-PRESIDENTE VEREADOR VALDIR TERRAZAN (PSDB): É uma honra sucedê-lo, Vereador Gilberto Biléo Soares. Com a palavra, por dez minutos.

SR. VEREADOR BILÉO SOARES (PSDB): Primeira vez, presidente vereador Valdir Terrazan. Sr. presidente, Srs. Vereadores, plenário, as pessoas que estão presentes, telespectadores da TV Câmara. Eu gostaria de falar primeiro do momento que vive essa Câmara, vereador Luis Yabiku. Momentos dos mais fecundos, diferenciados, férteis, dos últimos momentos, ou das últimas legislaturas, é uma Câmara que debate, que vive momento de prosperidade, um momento singular neste século pelo debate,
pelo envolvimento, pelo engajamento dos vereadores. Agora mesmo, Cida, tivemos a questão da greve, a Prefeitura com uma posição, o sindicato com outra posição e a Câmara tinha posição, a posição do diálogo. Aqui criamos a Comissão de Estudos, que foi representar o Poder Legislativo, esse Parlamento tão altivo, tão consistente nas negociações. Eu acho que não houve vitoriosos, vereador Luis Yabiku, nem derrotados e nem vitoriosos. Mas se alguém ganhou neste momento foi a Câmara Municipal de Campinas, pela sua atitude de firmeza, de coragem, de arrojo, de terminação, de tenacidade, de sagacidade, no sentido de buscar o entendimento.
Houve uma reunião, vereador Canário, vereador Luis Yabiku, com os sindicatos e lá foi dito, nós vamos votar uma proposta, que seja fruto do diálogo e da negociação entre Poder Executivo e a sociedade civil organizada, representada naquele ato pelo Sindicato dos Funcionários Públicos. E é isso que vai acontecer, chegar a um bom termo e, na verdade, agora, nós vamos votar. Então, eu gostaria muito de destacar a participação, vereador presidente, da Câmara Municipal de Campinas, no que diz respeito a toda essa negociação. Vereador Valdir Terrazan, vereador Dário Saadi, vereador Arly de Lara, que presidiu esta Comissão, esses vereadores estiveram lá na Justiça, para na verdade buscar alternativas e dizer o que pensava o legislativo. Então, parabéns vereadores, parabéns Câmara Municipal de Campinas, porque esse é o caminho, é o caminho do diálogo. Sempre é necessário é fundamental se dar corda, fio, esperança ao diálogo, ao diálogo é fundamental e o diálogo busca realmente o bem comum e quando a gente está falando em diálogo, a gente está falando em democracia.
Segundo, eu gostaria de destacar e enaltecer a participação do vereador Luis Yabiku, nessa questão envolvendo os patrulheiros e envolvendo os guardinhas de Campinas. No momento de crise que passa o país, uma crise que toma de assalto, que assola o coração da metrópole campineira, alguns procuradores do alto de suas ironias, trancados nos seus gabinetes, com o frigobar tomando uísque, tiveram uma decisão gélida, fria, uma decisão que não representava o anseio da população de Campinas. E a Câmara se posicionou de novo e esteve presente, se fez presente. E a sensibilidade do Vereador Luis Yabiku, seu caráter de ferro, sua vontade de aço inebriou tudo e todos e trouxe essa discussão para o seio da Câmara Municipal e fizemos um projeto, todos nós, por unanimidade. Os Guardinhas e Patrulheiros aqui estiveram 40 anos, vereador Alberto Fonseca (Prof. Alberto), de tradição, de história de lutas, desenvolvendo o caráter e uma geração do futuro que vai gerir os destinos do nosso país. Quer dizer, o que aqueles procuradores fizeram? Nada menos e nada mais do que levar aquelas famílias envolvidas naquele momento, naquela crise que se instalava na Prefeitura e a Câmara Municipal, com a dispensa sendo eventualmente exonerados só levaram dor, angústia, medo e receio. Por estas e outras, eu gostaria de dizer, meus parabéns vereador Luis Yabiku, parabéns
vereadores, a Câmara Municipal de Campinas, porque nós acertamos mais uma vez.
Então é importante a gente realçar os bons momentos que vivenciamos aqui na Câmara, porque a Câmara é um poder por, muitas vezes, vulnerável a uma série de situações, porque quando nós acertamos, estamos acertando bastante, a gente tem que vir na Tribuna expressar o nosso desejo, a nossa vontade, a nossa aspiração e o nosso anseio. Os Guardinhas e Patrulheiros estão aí, quer dizer estão trabalhando, nunca deixaram de trabalhar por decisão firme da Câmara Municipal e da sociedade civil organizada que também permeou esse debate. Por estas e outras, eu fico feito feliz de participar dessa Câmara Municipal.
E, por derradeiro, hoje eu escrevi um artigo no Jornal o Correio Popular, que é a “Visão do Amanhã - Enxergando o Futuro”, sobre um Projeto de Lei que institui obrigatoriedade nas Escolas Municipais de Ensino Básico, Ensino Fundamental, vereador Alberto Fonseca. A obrigatoriedade dos professores que conhecem bem seus alunos, estudantes, a fazer exame de vista ou de acuidade visual, através de uma tabela simples, chama Tabela Snellen, cinco metros, quer dizer, os olhos abertos primeiro, professor ao lado, tateando, porque acompanha o aluno a cada bimestre, cada ciclo e depois põe a palma da mão num olho e depois repete com outro olho.
E daí se o professor vislumbrar alguma deficiência visual, algum tipo de cegueira do gênero, no olho etc., na verdade, o que vai acontecer? Vai encaminhar ao posto de saúde, ao centro de saúde ou à família, e evitando evasão escolar e aumentando o rendimento escolar. Então, é um projeto interessante, que eu gostaria que vocês corroborassem, colaborassem com emendas para galvanizar esse projeto, para dar mais robustez a esse projeto, dar mais dimensão com a inteligência que vocês emprestariam a esse projeto. Então o Projeto Enxergando Campinas, o futuro enxergando Campinas, a visão do amanhã, que vai ser debatido. Olha, a Organização Mundial da Saúde afirma que teremos 200 milhões de deficientes visuais, em 2020, 75 milhões de cegos. Se a gente puder minimizar, atenuar esse drama vivido por essas pessoas, encaminhar essas pessoas para
um melhor cenário, nós estaremos dando uma contribuição para que nossa cidade seja melhor.
Muito obrigado, amigas e amigos que me acompanharam até aqui.

Vereador Alberto Fonseca (Prof. Alberto), com a palavra.
SR. PRIMEIRO VICE-PRESIDENTE VEREADOR VALDIR TERRAZAN (PSDB): Só alertar que o tempo expirou.

SR. VEREADOR BILÉO SOARES (PSDB): Não terminou ainda não, tem mais um pouquinho.

SR. PRIMEIRO VICE-PRESIDENTE VEREADOR VALDIR TERRAZAN (PSDB): São oito minutos.

SR. VEREADOR BILÉO SOARES (PSDB): Pode falar.

SR. VEREADOR ALBERTO FONSECA (PROF. ALBERTO) (DEM): Eu só queria falar.

SR. PRIMEIRO VICE-PRESIDENTE VEREADOR VALDIR TERRAZAN (PSDB): Fica para próxima discussão.

SR. VEREADOR ALBERTO FONSECA (PROF. ALBERTO) (DEM): Eu só queria falar que esse projeto é campeão. Parabéns.

SR. VEREADOR BILÉO SOARES (PSDB): Obrigado. Vamos debater mais uma vez. Obrigado, vereador professor. Alberto.

 

Copyright (c) 2009 - www.bileosoares.com.br - Todos os direitos reservados