Discurso


04/02/2009

 

2a Reunião Ordinária, realizada aos 04 de fevereiro de 2009

 

SR. VEREADOR GILBERTO CELESTINO BRASIO BILÉO SOARES (PSDB):

Senhor presidente, senhores vereadores, seleto e distinto público presente, é uma grande satisfação voltar à tribuna desta Câmara depois de 12 anos. E voltar, na verdade, numa posição política. O PSDB disputou a última eleição e não foi feliz no pleito, ficamos em segundo lugar. É como se a população nos colocasse na oposição.
Esta oposição que haveremos de fazer será uma oposição difícil, delicada por quê? As eleições estão por aí. Avizinham-se as eleições para presidente da República, para o Governo do Estado, para o Senado - eleições parlamentares - senador, deputado federal e as representações estaduais, obviamente na assembléia estadual. O PSDB seguramente será protagonista, tem um candidato que segue à frente das pesquisas eleitorais.
Também quando anunciado o nome do candidato a governador, será um candidato extremamente consistente e que terá amplo espaço na mídia e grandes condições de vitória. Por isso, a nossa posição primeira é defender as ações e propostas do nosso governo. É fundamental que façamos isso porque na verdade o princípio do contraditório é essência do processo democrático. E a dialética “maioria e oposição” referenda um processo democrático, onde se não há oposição, haverá obviamente ditadura.
E a nossa oposição, reza a cartilha tucana, não uma oposição sistemática. Não faremos uma oposição raivosa, odiosa, do quanto pior melhor, cega, burra. Bem como não faremos também uma oposição mansa, light, suave. Faremos uma oposição a favor de Campinas, construtiva, inteligente, que aponte ao senhor prefeito os seus erros, mas também que possa ser convencida dos seus acertos. Essa é a fase que ora queremos inaugurar. Uma oposição adjetivada que esteja sempre em sintonia com os reclamos e com os anseios de nossa população. Esse é o caminho a ser trilhado. Esse é o caminho a ser seguido.
O prefeito na primeira sessão ocupou a primeira parte aqui nesta Casa. Dizia Dolores Gomes, uma frase que virou lema da luta contra o fascismo na Revolução Espanhola de 1936/1939: "Mais vale a pena morrer de pé do que viver de joelhos". Então, essa Câmara não vai mais viver de joelhos. Essa Câmara tem que ter personalidade. Essa Câmara tem que fazer valer o que é a função precípua do Parlamento. Parlamento, uma instituição polivalente, onde pulsam e brotam os desejos da nossa comunidade. Onde pulsam e brotam os anseios e as diferenças, buscando nossas convergências. Não vamos admitir projetos obscuros. A qualquer sinal de corrupção estaremos atentos. Mas seguramente, se for bom para Campinas vamos cerrar fileiras. Tem uma frase do deputado Carlos Sampaio que diz: “Torcer contra um prefeito é torcer contra a cidade”. Eu não torço contra ninguém. Eu sou a favor de Campinas.
Por isso formatamos um bloco, constituímos um bloco com o Partido Verde, duas figuras extremamente preparadas, o Vicente da UPA e Vereador José Carlos Oliveira (Zé do Gelo,), cujo Partido está sintonizado com a natureza, com a qualidade de vida, com o desenvolvimento sustentável. E que tem lições de vida e tem exemplos que precisamos seguir. Então, este Bloco está concebido. Este Bloco estará aqui para travar o melhor combate, o bom embate, para que as pessoas participem desse processo. Democracia, dizia Montoro: "Não é uma palavra vaga. Não é uma mera formalidade. É um valor fundamental. É o estuário por onde correm as energias progressistas”. “É um valor universal”, como dizia Gorbachev. Então é democracia participativa, pluralista, representativa, que nós queremos estar atentos aqui, porque o Parlamento tem esta vida com a presença deste seleto grupo que está aqui. Com os vereadores com suas diferenças, com suas ideologias, com suas sinalizações, com seus acenos, para que todos juntos assim possamos construir a cidade dos nossos sonhos.
Mário Covas, certa vez no dia 12/02/68, quando o regime militar demandava a licença para processar Márcio Moreira Alves, porque havia proferido um discurso onde concitava o povo a não participar da parada militar, ele falava em alto e bom som: "Creio na liberdade - e desenvolvia - creio na palavra e no povo". E daí terminou e falou: "Creio no Parlamento. Creio no Parlamento ainda que com suas demasias e fraquezas, que só o sustentaremos e de forma efetiva, se ele for independente, livre e soberano".
É esse o Parlamento que nós queremos. Não há força que resista a uma ideia... Não há força que resista a uma ideia, quando essa ideia é de cidadania plena no Poder Legislativo independente. É assim que nós queremos atuar doravante, inaugurando essa fase com o coração aberto, recebendo as sugestões, participando com todos vocês, com os senhores vereadores, com vocês aqui que estão presentes. Quanto mais se avança na escuridão da noite, mais se aproxima o clarão da manhã.

SENHOR PRIMEIRO VICE-PRESIDENTE VEREADOR VALDIR TERRAZAN (PSDB):

O Vereador tem mais um minuto para concluir.

SENHOR VEREADOR GILBERTO C. BRASIO BILÉO SOARES (PSDB):
É chegado o dia de eu agradecer e me curvar ao povo de Campinas, por mais esta oportunidade de poder defender a minha terra. A terra que meu deu uma família maravilhosa, me deu amigos extraordinários, me deu oportunidade de estudar. E me dá a honra novamente de representá-la. Há mais de duzentos anos que nós trabalhamos por essa cidade e assim, nós vamos continuar para que possamos efetivamente realizar os ideais da nossa terra e de nosso povo. Por isso, meus amigos, se o caminho for longo, dizia Pablo Neruda, eu vou andar, é seguro, eu vou chegar. Nós vamos chegar e vamos chegar na plenitude democrática, com o apoio e envolvimento de toda a cidade de Campinas.
Muito obrigado e um abraço.

 

Copyright (c) 2009 - www.bileosoares.com.br - Todos os direitos reservados