Bullying

 

BULLYING, UM PROBLEMA SOCIAL

1) Definição  

 

BULLYING compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angústia, e executadas dentro de uma relação desigual de poder. Portanto, os atos repetidos entre iguais (estudantes) e o desequilíbrio de poder são as características essenciais, que tornam possível a intimidação da vítima.

Por não existir uma palavra na língua portuguesa capaz de expressar todas as situações de BULLYING possíveis, o quadro, a seguir, relaciona algumas ações que podem estar presentes:

Agredir Empurrar Isolar
Amedrontar Encarnar Ofender
Assediar Excluir Perseguir
Aterrorizar Fazer sofrer Quebrar pertences
Bater Ferir Roubar
Chutar Gozar Sacanear
Colocar apelidos Humilhar Tiranizar
Discriminar Ignorar Zoar
Dominar Intimidar    

2) Identificação de Autores e Vítimas

Os autores são, comumente, indivíduos que têm pouca empatia. Freqüentemente, pertencem a famílias desestruturadas, nas quais há pouco relacionamento afetivo entre seus membros. Seus pais exercem uma supervisão pobre sobre eles, toleram e oferecem como modelo para solucionar conflitos o comportamento agressivo ou explosivo. Admite-se que os que praticam o BULLYING têm grande probabilidade de se tornarem adultos com comportamentos anti-sociais e/ou violentos, podendo vir a adotar, inclusive, atitudes delinqüentes ou criminosas.

 

As vítimas são pessoas ou grupos que são prejudicados ou que sofrem as conseqüências dos comportamentos de outros e que não dispõem de recursos, status ou habilidade para reagir ou fazer cessar os atos danosos contra si. São, geralmente, pouco sociáveis. Um forte sentimento de insegurança os impede de solicitar ajuda. São pessoas sem esperança quanto às possibilidades de se adequarem ao grupo. A baixa auto-estima é agravada por intervenções críticas ou pela indiferença dos adultos sobre seu sofrimento. Alguns crêem ser merecedores do que lhes é imposto. Têm poucos amigos, são passivos, quietos e não reagem efetivamente aos atos de agressividade sofridos. Muitos passam a ter baixo desempenho escolar, resistem ou recusam-se a ir para a escola, chegando a simular doenças. Trocam de colégio com freqüência, ou abandonam os estudos. Há jovens que estrema depressão acabam tentando ou cometendo o suicídio.

3) Ações Consideradas Bullying

Os autores do bullying usam principalmente uma combinação de intimidação e humilhação para atormentar suas vítimas. Abaixo, estão alguns exemplos das técnicas debullying:

Insultar a vítima; acusar sistematicamente a vítima de não servir para nada.
Ataques físicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade.
Interferir com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas, etc., danificando-os.
Espalhar rumores negativos sobre a vítima.
Depreciar a vítima sem qualquer motivo.
Fazer com que a vítima faça o que ela não quer, ameaçando a vítima para seguir as ordens.
Colocar a vítima em situação problemática com alguém (geralmente, uma autoridade), ou conseguir uma ação disciplinar contra a vítima, por algo que ela não cometeu ou que foi exagerado pelobully.
Fazer comentários depreciativos sobre a família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, orientação sexual, religião, etnia, nível de renda, nacionalidade ou qualquer outra inferioridade depreendida da qual obully tenha tomado ciência.
Isolamento social da vítima.
Usar as tecnologias de informação para praticar o cyberbullying (criar páginas falsas sobre a vítima em sites de relacionamento, de publicação de fotos etc.).
Chantagem.
Expressões ameaçadoras.
Grafitagem depreciativa.

4) Solução e Ação

No Brasil temos um numero preocupante e alarmante, eis que 47% dos estudantes estão envolvidos com o Bullying.

O fato mais assustador é que esse fenomeno é muito confundido com brincadeira nas escolas, sendo que esse sofrimento vivido pela vítima podem causar traumas irreversíveis, como doenças emocionais, dificuldade de relacionamento, distúrbios alimentares, diminuição na autoestima.

Nesse sentido, é necessário fazer um trabalho de prevenção nas escolas e nos ambientes familiares. Ja temos ciência que um trabalho pioneiro realizado em São Jose do Rio Preto reduziu quase pela metade os casos de Bullying. 

O que se pode notar é que a falta de informação acerca do tema pode causar transtornos irreversíveis na vítima e alteração forte no ambiente escolar.

Copyright (c) 2009 - www.bileosoares.com.br - Todos os direitos reservados