Artigos


10/06/2009

Saúde Pública

Enxergando o futuro

Biléo Soares
Vereador PSDB, Campinas

Claro que não há que se discutir a importância da visão para o ser humano. Mas, quando chegou ao nosso conhecimento o tamanho dessa importância — ela responde por 85% de nossa integração com o meio em que vivemos, além de ser um sentido essencial para o desenvolvimento cognitivo — decidimos tomar alguma atitude para garantir que nossas crianças, pelo menos as matriculadas na rede pública municipal, não sofram em consequência de uma visão precária.

Mas não é só. Nossa intenção tem também por base um dado altamente relevante, descoberto em um levantamento feito na Rede Municipal de Ensino: ali, 90% das crianças jamais passaram por um exame oftalmológico. Dessas, é bem provável que 20% delas — e os números são mais que expressivos — sofram, segundo o Conselho Municipal de Oftalmologia, de algum problema nos olhos e não possuam qualquer tipo de acesso a algum tipo de exame.

Outros dados relativos a problemas de visão no mundo também nos sensibilizaram a buscar uma atitude para ajudar a diminuir o problema: de acordo com a Organização Mundial de Saúde, até o ano de 2020, deve ocorrer um aumento de 45 milhões no número de cegos no mundo, elevando esse total para 74 milhões. E dos atuais 135 milhões de deficientes visuais, o mundo deverá chegar a 200 milhões daqui a apenas 11 anos. Mais estarrecidos ainda ficamos ao saber que, segundo a própria OMS, medidas preventivas podem evitar que 80% desses casos se concretizem.

Nem é necessário assinalar que esses argumentos são mais que suficientes para que encaremos como obrigação, de homem público e cidadão a necessidade de intervenção nesse cenário que se desenha. Assim, produzimos um projeto de lei — já protocolado na Câmara Municipal — que institui o Programa Visão do Amanhã na rede pública municipal. Pelo projeto — que espero seja aprovado por meus colegas na Câmara e receba a sanção do prefeito — as escolas da rede municipal realizarão, no primeiro bimestre de cada ano, um teste de acuidade visual nos alunos da primeira série do Ensino Fundamental e nos que ingressarem nas outras séries, vindo de outras escolas que não sejam municipais.

O teste é simples e eficaz: o aluno deve ficar em pé a uma distância de 5 metros da tabela de teste. E deve ler, em voz alta, a menor linha de letras na tabela que ele conseguir, com um dos olhos coberto com a palma da mão. O procedimento deve ser repetido com o outro olho. Por ser simples, o procedimento não precisará ser realizado por pessoal especializado, podendo ser feito pelo próprio professor dentro da sala de aula.

Realizado o teste, os alunos que apresentarem deficiência visual terão acompanhamento clínico e assistência médica oftalmológica. O projeto estabelece ainda que a Prefeitura, para a realização dos objetivos nele propostos, poderá firmar convênios e parcerias com a União, com o Estado, com universidades, organizações não-governamentais, entidades religiosas, entidades privadas, cooperativas e associações voltadas à educação ou à saúde.

Além dos benefícios todos já assinalados no início desse artigo, o programa ora proposto, se transformado em lei, ajudará a evitar a evasão escolar, proporcionará acompanhamento e assistência de oftalmologistas a alunos carentes, produzirá ações positivas sobre questões de prevenção e conservação da visão, como campanhas educativas e informativas, tudo contribuindo para que combatamos aquele cenário descrito acima, previsto pela Organização Mundial de Saúde.

Entendemos que Campinas não pode continuar contribuindo para essa trágica estatística. E para minorá-la, como se vê através desse projeto, não são necessárias ações mirabolantes que necessitam de grandes investimentos. Basta um teste simples, com material barato. Além disso, como se sabe, qualquer tipo de doença, quando diagnosticada em seu início, é mais fácil — e, consequentemente, terá menor custo — de ser tratada.

Se todos fizermos nossa parte, com certeza estaremos contribuindo para que o número de cegos e deficientes visuais não atinja os terríveis totais para os quais apontam as estatísticas.

Biléo Soares é o líder da bancada do PSDB na Câmara de Vereadores de Campinas

Copyright (c) 2009 - www.bileosoares.com.br - Todos os direitos reservados